A índia selvagem

Índia da vida, índia da paixão
Que caçando sua comida
Flechou meu coração
Índia selvagem
A mata é a tua casa
Me pegue e me leve a ela
Eu sou a tua caça
Índia tão forte, nunca sentiu dor
Você é minha vida
Tenho a ti um eterno amor
Sou moço novo
E muito inteligente
Há te ofereço casa,
Comida e pente
Sei que não falo tupi
E muito menos o guarani
Índia não tenha medo
Eu não vou lhe ferir
Índia esbelta
Quero te ter na minha palma
Você é minha vida
E sem ti, chora minha alma
Índia tenha pena de mim
Sou apenas um jovem fidalgo
E sem você do meu lado
Sou um homem mal-amado
Já amei muitas mulheres
Dormi com todas aquelas piriguetes
Todas me fizeram errar
Mas hoje só quero uma
Deixe-me te amar
Índia não posso ficar aqui
Tenho que voltar à Portugal
Ver minha família
Comemorar o natal
Índia venha comigo
Conhecer Lisboa
E se não pudestes ir
Logo profundamente
Irá me ferir!
Índia não tenho muito tempo
Meu navio embarca amanhã
Mas não vou mentir
Que sempre lhe quis
Venha comigo
E me deixe te fazer feliz! 
 Julio Cesar Nogueira

Postagens mais visitadas